Daily Archives: 16 de Junho de 2011

Évora: Espetáculo infantil estreia no Teatro Garcia de Resende

          “O espetáculo infantil “Enquanto o meu cabelo crescia” estreia hoje no Teatro Garcia de Resende, em Évora.

Trata-se de uma co-produção do Teatro Municipal Maria Matos, Teatro Municipal da Guarda e Companhia de Dança Contemporânea de Évora.
“Enquanto o meu cabelo crescia”, em cena até sábado, tem textos originais de Isabel Minhós Martins e direção artística de Sergio Pelágio.”
 
 
Anúncios

Agricultura de conservação praticada no Alentejo para proteger solo contra a erosão

          ” Há 10 anos, Ricardo Freixial resolveu “revolucionar” a sua exploração agrícola, perto de Évora, e não se arrepende. Abandonou métodos tradicionais e adotou práticas agrícolas de proteção do solo, com ganhos agronómicos, ambientais e económicos.

“Estava a seguir técnicas que agronómica e ambientalmente não eram sustentáveis, o que fez com que eu alterasse o meu sistema de instalação de culturas”, disse o agricultor.

A partir de 2001, “rendeu-se” aos resultados da investigação de Mário de Carvalho, da Universidade de Évora (UÉvora), e adotou a sementeira direta e a agricultura de conservação.”

[FONTE: http://tv2.rtp.pt/noticias/index.php?t=Agricultura-de-conservacao-praticada-no-Alentejo-para-proteger-solo-contra-a-erosao.rtp&article=452164&layout=10&visual=3&tm=6]

Évora: Museu promove visita guiada

          “O Museu de Évora abre todas as quintas-feiras à noite com o apoio do Grupo de Voluntários.

Hoje, pelas 20:00, António Pastorinho e Ivone Girbal, voluntários do Museu de Évora, apresentam a visita guiada aos retratos das colecções de escultura e pintura do Museu de Évora.”
 

Impacto do recurso à ajuda externa nas empresas portuguesas ontem debatido em Évora

 É do conhecimento geral que a entrada da ajuda externa em Portugal traz para o nosso país medidas que vão pesar, principalmente, nos bolsos dos portugueses. Depois de assinado o chamado “memorando da troika”, ficaram definidas diversas medidas a implementar nos próximos anos, sendo que, destas, cerca de 200 serão já para 2011. O IVA vai ter de aumentar para muitos bens essenciais, os despedimentos serão mais baratos e as taxas moderadoras na saúde vão subir. A troika estabeleceu regras e prazos bem definidos. O Estado tem de iniciar a venda do BPN já este mês, assim como avançar com uma auditoria às acções que estão pendentes nos tribunais, ao mesmo tempo que tem de suspender a criação de novas entidades públicas. Até Julho, é necessário ainda iniciar a redução das indemnizações por despedimento para os novos contratos e cortar na taxa social única (TSU). Em Agosto, será feito um levantamento exaustivo dos pagamentos em atraso do Estado e 20 parcerias público-privadas serão avaliadas. Até Dezembro é preciso legislar a redução das deduções fiscais com a saúde, o corte com despesas no sector da defesa, aumentar os impostos sobre veículos e o imposto sobre o tabaco. Todos os benefícios fiscais serão congelados e o plano de privatizações será acelerado. O IVA da electricidade e do gás também vai subir.


Ontem, em Évora, o Banco Best, em parceria com o NERE – Núcleo Empresarial da Região de Évora realizou uma conferência sobre o impacto do recurso ao Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF) na economia portuguesa. Francisco Santos, administrador do Banco Best, explicou que o recurso de Portugal ao FEEF terá impactos no nosso dia-a-dia, não só para as empresas, como também para particulares, “…eu diria que o recurso de Portugal ao Fundo irá ter impactos no nosso dia-a-dia e impactos, desde logo, na nossa atitude, na forma como encaramos a vida, na forma como alocamos os recursos que temos, sejam particulares ou empresas, e portanto, vão ser impactos bastante transversais, não só a nível de empresas, como também de particulares. As empresas, possivelmente, com maiores restrições ao crédito e os particulares também, obviamente, com maior propensão à poupança e menos ao crédito…”.”

[FONTE: http://www.radioplanicie.com/gestao/noticias/index_noticias.php?noticia=4592]